A conjuntura atual impõe um renovado conjunto de situações que forma uma indignante constelação que arrasta milhares de pessoas à pobreza, doença, fenecimento e falecimento.

Cerca de um ano após o início da pandemia, neste fim de março o Brasil alcançará mais de 300 mil mortos, enquanto nas cidades e mesmo comunidades, um número imenso de pessoas ignora medidas mínimas que podem refrear uma onda que só cresce.

Se as variações do Sars-Cov-19 já ocorrem desde o início da pandemia, o caso do Brasil incrementa o desenvolvimento natural do vírus, tornando o país uma ameaça sanitária global de forma cada vez mais consistente, enquanto se afasta o horizonte de saída deste quadro e as autoridades responsáveis parecem ignorar os prejuízos e as vidas perdidas, na maioria das vezes.

O Encontro Nacional de Geografia Agrária, em sua 25ª edição, foi adiado enquanto esperávamos que a situação pudesse ser minimamente amenizada, o que vimos e sentimos na pele que não aconteceu.

Sendo assim, a coordenação do evento que celebrava com alegria poder receber pela primeira vez o encontro na Amazônia, sediado na Universidade do Estado do Pará (UEPA), viu o evento ser adiado em 2020 e os problemas que parecem ter se agravado em meados deste primeiro semestre de 2021.

Após diversas reuniões e no diálogo com estudantes, alunos, companheiras e companheiros da região e de outras regiões e instituições do Brasil, analisando a situação atual, achamos por bem convocar o 1º ENGA Virtual, mantendo o tema “ As Geografias Agrárias a partir da Panamazônia: lutas socioambientais e fronteiras do capital no Brasil”.

O evento terá o objetivo de animar a discussão sobre o agrário, compreendendo o papel ativo do agronegócio no direcionamento do Brasil, e a importância de analisar a situação do país desde uma discussão aberta e comprometida. Também objetiva-se realizar uma plenária que orientará a realização efetiva do XXV ENGA, especialmente o período e o formato do encontro, discutindo e decidindo da forma mais coletiva possível.

O ENGA Virtual acontecerá nos dias 7 a 9 de abril, o abril vermelho dos movimentos sociais de luta pela terra no Brasil. Será composto de uma mesa de abertura e outras três mesas buscando colocar algumas facetas do agrário no contemporâneo. A transmissão será feita nos canais públicos vinculados ao ENGA, onde também se encontram mais informações:

https://www.facebook.com/XXVENGA/ (facebook)
https://www.youtube.com/channel/UCnQaJXMH9QUgu-zIvnSwvMg (youtube)

 

Programação